MAC não é reconhecido pela CBF como “clube formador”

Matheus Alexandre jogou no Marília de 2014 a 2018, mas a Ponte Preta é reconhecida como formadora do atleta

Desde 2011, os clubes brasileiros necessitam do “Certificado de Clube Formador” (CCF), emitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para assegurar direitos sobre a formação de atletas. A entidade estabelece dois níveis de certificado, A e B, independentemente da divisão no campeonato nacional. A diferença está na validade dos documentos, 2 anos e 1 ano, respectivamente.

O Marília Atlético Clube (MAC) não tem esse certificado e por isso não é considerado “clube formador” pela CBF, mesmo que o atleta tenha feito toda a base na agremiação, com a disputa de competições oficiais e até atuado profissionalmente, como no caso do lateral-direito Matheus Alexandre, de 20 anos, que está na Ponte Preta e na semana passada teve 50% de seus direitos econômicos vendidos ao Corinthians por R$ 800 mil, segundo o site globoesporte.com.

Matheus Alexandre jogou todas as edições do Campeonato Paulista de Base pelo Marília, desde 2014, quando disputou o Sub-15. No ano passado, além da Copa São Paulo Junior, o lateral, que no Alviceleste atuava como volante, realizou 13 jogos profissionais no Paulista da Série A-3. Foi chamado de “Queridinho” do técnico Jorge Rauli, pois foi quem deu a primeira oportunidade para o atleta no profissional e sempre o elogiava apesar da pouca idade.

Mesmo que o MAC não tivesse nenhuma parte dos direitos econômicos de Matheus Alexandre, na venda dos 50% para o Corinthians, se possuísse o “Certificado de Clube Formador”, por direito levaria 5% do valor da negociação, mantendo esse percentual de maneira ‘eterna’, toda vez que o atleta fosse comercializado. A Ponte Preta tem esse certificado e mesmo tendo o atleta em seu elenco desde março do ano passado, é considerado o “clube formador” de Matheus Alexandre.

No Estado de São Paulo, além da Ponte Preta e dos quatro ‘grandes’ (São Paulo, Palmeiras, Santos e Corinthians), apenas outros dez clubes possuem o “Certificado de Clube Formador”, sendo somente um da 4ª Divisão (Sub-23): o Brasilis, de Águas de Lindoia. Os outros nove são: Osasco Audax, Botafogo, Desportivo Brasil, Ferroviária, Novorizontino, Ituano, Mirassol, São Caetano e XV de Piracicaba.

 

Os 5 requisitos para se tornar ‘clube formador’:

 

1- Apresentar a relação de técnicos e preparadores físicos responsáveis

2-  Comprovar participação em competição oficial

3-  Apresentar o programa de treino, seus responsáveis e compatibilidade com a atividade escolar dos jovens jogadores

4 - Garantir frequência escolar dos jovens jogadores

5 - Garantir a saúde dos jovens jogadores (por meio da contratação dos seguintes profissionais: médico, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, e de ações como promover visitas frequentes dos ou aos familiares, oferecer três refeições diárias, manter os alojamentos limpos e locais de treinamento preparados para atendimento de urgência)