Doação de Sangue: Junho Vermelho prepara estoque de inverno

O objetivo é sensibilizar a população para a doação antes que o estoque caia junto com a temperatura

Com a mudança de mês, recomeça o Movimento Junho Vermelho, reverenciando o Dia Mundial do Doador de Sangue (próximo dia 14).

 

O objetivo é sensibilizar a população para a doação antes que o estoque caia junto com a temperatura.

 

Além de iluminação vermelha em prédios públicos, os bancos de sangue contam com a imprensa e elaboram estratégias próprias para chamar a atenção da sociedade.

 

Em Marília, o tipo O negativo é o mais crítico, com reserva de oito bolsas, quando deveria ter 48.


Diversas ações serão promovidas ao longo do mês para estabilizar os estoques de sangue.

 

Em Marília, o Hemocentro entrou a semana com esse planejamento.

 

Isso porque, com o clima mais frio os níveis de sangue chegam a cair até 30%.


Ontem a Agência Brasil lembrou a pesquisa feita em 2017 pelo “Eu Dou Sangue” em parceria com o Instituto Datafolha, em que cerca de 92% dos brasileiros disseram não ter doado sangue entre junho de 2016 e junho daquele ano.  

 

De acordo com o levantamento, além do recesso e do clima mais frio, feriados e dias chuvosos também impactam negativamente nos Hemocentros.


Os níveis satisfatórios do estoque dependem do tipo sanguíneo e consideram uma semana de média de demandas hospitalares.

 

No Hemocentro de Marília, que atende uma população de 103 municípios, entre os tipos sanguíneos positivos, o estoque está em níveis regulares.


No entanto, quatro tipos negativos apresentam reserva inferior ao ideal de segurança.

 

São eles:

 

A-, que tem 29 bolsas de sangue e deveria ter 48; B, que tem apenas três bolsas e deveria ter seis; AB-, com uma única bolsa, sendo que também deveria ter seis; e, por fim, o tipo O negativo, mais crítico, que conta com oito bolsas de sangue, quando o ideal seriam 48. 


Na semana passada o Hemocentro local registrou média de 48 doadores/dia.

 

Sendo que os sábados tem tido maior movimento. Só que a média ideal é de 60 doações por dia.


Durante todo mês, a campanha iluminará com a cor vermelha instituições públicas e privadas, prédios históricos e monumentos em diferentes localidades do país.

 

Lançada no estado de São Paulo, a campanha Junho Vermelho ganhou status de lei estadual em 15 de março de 2017 (nº 16.386) e passou a ser promovida em todo o país.


Para doar sangue é preciso pesar acima de 50 quilos, ter entre 16 e 69 anos, apresentar bom estado de saúde, não estar fazendo uso de nenhum tipo de medicamento, ter dormido bem na noite anterior e evitar o consumo de bebida alcoólica nas 12 horas antecedentes.

 

Quem teve dengue precisa esperar no mínimo duas semanas após a recuperação. 


O Hemocentro fica na Rua Lourival Freire, nº 240, ao lado do Fórum, no bairro Fragata.

 

O horário de atendimento ao público é das 7h às 13h de segunda a sábado.

 

O telefone é 3402-1850. É preciso apresentar documento com foto.