Mulher de 35 anos morre com H1N1

Alessandra Daniele dos Santos esteve internada na UTI, chegou a ter alta, mas retornou ao Pronto-Socorro e não resistiu

Morreu em Marília mais uma vítima do vírus H1N1.

Depois de um homem de 39 anos, no dia 11 de abril, no último sábado (8 de junho) veio a óbito uma mulher de 35 anos.

Alessandra Daniele dos Santos esteve internada na UTI do Hospital das Clínicas, chegou a ter alta, mas retornou ao Pronto-Socorro e não resistiu.


Segundo familiares, Alessandra passou dois dias internada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital das Clínicas na semana passada.

Mas o quadro evoluiu positivamente e a paciente chegou até a voltar para casa.

Na última sexta (7) ela voltou a passar mal e foi atendida no Pronto-Socorro do HC, sendo novamente internada.


“Ela faleceu no isolamento do Hospital das Clínicas e recebeu diagnóstico de gripe suína, H1N1 como os médicos disseram”, contou a sobrinho do esposo de Alessandra, Elieje Ferraz. Segundo ela, a paciente não tinha outras patologias que pudessem ter contribuído para o agravo do quadro, mas apresentava sobrepeso.


“Ficamos consternados, não imaginávamos que o caso fosse se agravar tanto. Foi tudo muito rápido”, mencionou Elieje.

Alessandra foi levada por familiares para ser velada em Alvorada do Sul – Paraná, cidade dela.


A vítima de Síndrome Respiratória Aguda Grave morava na rua Piratininga, em Marília.

Ela deixou esposo e três filhos. Apesar do diagnóstico médico, análises complementares de amostras ainda estão em andamento para confirmações laboratoriais.


Homem de 39 anos morreu com H1N1 em 11 de abril


Em 11 de abril já havia falecido um homem de 39 anos com Síndrome Respiratória Aguda Grave, que também não estava no grupo de risco atingido pela Campanha de Vacinação contra Gripe.

Ele era morador do Jardim Morumbi.


Ao todo a Vigilância Epidemiológica do Município já notificou 49 casos suspeitos de SRAG, entre os quais confirma dois positivos, com um óbito.

A paciente Alessandra dos Santos, embora também tenha falecido, ainda configura entre os 17 suspeitos que aguardam confirmação laboratorial.

A SRAG pode ser provocada por vírus Influenza diversos, incluindo o vírus A, subtipos H1N1 e H3N2, além do vírus Influenza B.