Febre Amarela: Marília pode ter até 90 mil pessoas desprotegidas

Marília pode ter até 90 mil pessoas desprotegidas da febre amarela. Isso porque há registro de 128.373 imunizações e não da população total. Todos os municípios paulistas estão em alerta porque a doença ressurgiu e avançou no estado.

 

Atualmente, todo o território de São Paulo é considerado área de risco.

 

Neste ano 14 cidades já estão com circulação viral e a taxa de óbito está em 18,2%.


Janeiro foi o mês de maior incidência, mas a circulação viral permanece.

 

Ao todo, até a última semana, houve 66 casos confirmados de febre amarela com 12 óbitos.

 

E 78 permanecem em investigação, dos quais 11 pacientes já faleceram.


O total de notificados foi muito maior, 545, mas 401 foram descartados (não eram febre amarela).

 

Isso porque a doença é de notificação compulsória.

 

O que significa que os serviços de saúde precisam comunicar os casos suspeitos à saúde pública para que haja a investigação e as ações de controle.


Por enquanto a letalidade da febre amarela em 2019 está em 18,2%.

 

Dos 66 casos confirmados, a maior parte ocorreu em Iporanga (19) e Eldorado (15), respectivamente a 417 km e 495 km de Marília, onde não constam confirmações da doença.

 

No entanto, todos os municípios paulistas estão em alerta para a vacinação por conta de o vírus ter entrado em circulação novamente dentro do território de São Paulo.


As vacinas sempre estiveram disponíveis, mas a adesão diminuiu e fez a doença reemergir desde 2016, com aumento a partir do ano passado, em que houve 504 registros autóctones, com 176 óbitos, ou seja, letalidade de 35%.


Desde abril de 2017 uma única dose da vacina contra a febre amarela confere imunidade para o resto da vida.

 

Não é mais preciso tomar dose de reforço.


A vacina contra febre amarela está disponível em todos os postos de saúde da rede básica de Marília.

 

Todos podem tomar o imunizante a partir dos nove meses de vida.

 

Acima de 60 anos, quem não está imune deve passar por avaliação técnica para ver se há contraindicação.