PRF determina “cumprimento imediato” de suspensão de radares móveis em estradas federais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou um ofício na última quinta-feira (15) determinando o “cumprimento imediato” da suspensão da fiscalização por radares móveis nas estradas federais, as chamadas BRs.

 

A medida atende a ordem do presidente Jair Bolsonaro e não vale para radares fixos, que continuarão funcionando, e nem para rodovias estaduais e municipais, que não são de responsabilidade da PRF.

 

Segundo o governo, a suspensão é para evitar “desvirtuamento do caráter educativo” e “a utilização meramente arrecadatória dos aparelhos”. Ela só vai terminar depois que o uso dos radares móveis for reavaliado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

A suspensão foi publicada no “Diário Oficial da União” também na última quinta, mas não tinha sido especificado quando começaria a valer. Bolsonaro chegou a dizer que seria somente nesta segunda (19). A PRF, no entanto, já tinha confirmado a suspensão dos radares móveis nos estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina e Sergipe.

 

A medida se aplica aos seguintes tipos de radares móveis: instalado em veículo parado ou sobre suporte (estável); instalado em veículo em movimento; direcionado manualmente para os veículos (portátil).