Escolas participam do Dia do Coração na Escola

É a primeira vez que a Diretoria de Ensino de Marília fez parte do programa

Onze escolas estaduais de Marília participaram ontem do Dia do Coração na Escola, integrando o Programa SBC vai à Escola, realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Foi a primeira vez que a Diretoria de Ensino de Marília fez parte do programa. 

O objetivo é a prevenção e promoção da saúde cardiovascular dos alunos com idade entre 06  e 18 anos, através de ações que envolveram professores e alunos.

A primeira etapa aconteceu dia 15 de agosto com a capacitação de professores e alunos monitores sobre o tema.

Depois cada escola organizou diferentes atividades com os alunos que foram apresentadas ontem durante o Dia do Coração na Escola.

Participaram as escolas  Profª Amélia Lopes Anders, Prof Amílcare Mattei, Antônio Augusto Netto, Prof Benito Martinelli, Prof Edson Vianei Alves, Geo Emico Matsumoto, Gabriel Monteiro da Silva, Dr Lourenço de Almeida Senne, Profª Maria Cecília Ferraz De Freitas, Profª Reiko Uemura Tsunokawa e Ceeja Sebastiana Ulian Pessine.

As ações nas escolas facilitam a aprendizagem sobre a importância da prevenção dos fatores de risco para doenças cardiovasculares.

Sete fatores de risco são abordados: sedentarismo, obesidade, tabagismo/ outras drogas, dislipidemia, hipertensão arterial, diabetes e estresse.

Em contrapartida dois grandes fatores protetores são apresentados: alimentação saudável e atividade física regular.

Segundo a professora Daniela Biudes dos Santos Ortega, coordenadora do núcleo pedagógico da escola Gabriel Monteiro, as atividades tiveram o envolvimento de todos os professores, coordenação e diretoria da escola.

“Os professores fizeram um trabalho articulado e não mediram esforços para realizar as atividades do Dia do Coração na Escola”, disse.

Na escola Gabriel Monteiro, os  alunos participaram de orientações sobre alimentação na sala de nutrição, além de apresentações de teatro, sala de relaxamento, roda de conversa sobre saúde e exercícios físicos e várias outras atividades.

Informações sobre o alto teor de açúcar e conservantes nos alimentos processados, chamaram a atenção dos alunos. 

“Focamos nos fatores de risco para as doenças cardiovasculares e também nas formas de prevenção como a alimentação saudável e a atividade física. As escolas que desenvolvem horta contribuem de forma significativa para orientar os alunos sobre a alimentação saudável”, disse o professor Maciel Redígolo, coordenador do núcleo pedagógico.

 

Por Izabel Dias/Fotos:Edio Jr./JM