Jovem entra em remissão e transplante é antecipado

Edio De Marchi Sandalo, 22 anos, comoveu a população de Marília. O paciente já foi transplantado em 2018, mas após um ano a doença ressurgiu

 

O jovem mariliense Edio De Marchi Sandalo, paciente de leucemia em Jaú, entrou em remissão. Isso significa que a doença está inativa e o transplante de medula óssea foi antecipado para 25 de outubro. O estudante de Direito do Univem comoveu a população de Marília, que fez correntes de orações, campanhas de doação de sangue e financeira. O paciente já foi transplantado em 2018, mas após um ano a doença ressurgiu.

O exame de mielograma foi feito na terça-feira (8) e nessa quarta saiu o resultado da remissão, essencial ao transplante. O jovem passa por quimioterapia com uma nova medicação, ainda mais forte (blincyto). Mesmo assim, em geral são necessários dois ciclos de 28 dias de internação em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Não foi o que aconteceu no caso do Edio.

O paciente termina o primeiro ciclo de tratamento nessa sexta-feira (11) e o mielograma já identificou remissão total. “Não será necessário passar pelo segundo ciclo, de consolidação. Eu cheguei a sonhar que isso acontecia, mas, ao acordar, contei o sonho à minha esposa (que está em Jaú) e ela não quis pensar nessa possibilidade por ser bem improvável”, contou o pai do paciente, Edio Junior, que é repórter fotográfico do Jornal da Manhã.  

Com o resultado positivo da remissão, acima do esperado, a equipe médica do Hospital Amaral Carvalho (Jaú) decidiu antecipar o transplante de medula óssea, pré-agendado para 25 de outubro. O cruzamento entre a lista de espera e os doadores encontrou três voluntários 100% compatíveis com o estudante. A escolha foi pelo que tem perfil mais semelhante ao dele.

“Mais uma vez agradecemos a todos pelas orações e ajuda, estando conosco nessa luta”, mencionou a mãe do estudante, a diretora pedagógica da Apae, Renata Sandalo.

Esperança

Edio De Marchi Sandalo tem emocionado as pessoas por sua resignação e equilíbrio. Ontem, de dentro do hospital, ele conversou com o Jornal da Manhã pelo whatsapp e contou que as notícias da remissão e do agendamento do seu segundo transplante representam esperança para ele e para os outros pacientes com leucemia.

 “Quando o médico me contou (quarta-feira) minha primeira reação foi chorar muito. Em seguida peguei o notebook pra avisar meus pais. Lutamos muito da primeira vez e estamos lutando agora novamente. Eu tinha esperança de uma notícia positiva, mas não tanto assim”, disse o jovem mariliense.

Tratamento em Jaú

Os pais de Edio alugaram uma kitnet em Jaú para a hospedagem do acompanhante. Eles se revezam com demais familiares para visitar o jovem diariamente na UTI. Após a alta da Unidade de Terapia Intensiva, o estudante terá 14 dias de intervalo, retornando ao hospital para o transplante, ficando até 30 dias internado em isolamento total, com exames contínuos para verificar o sucesso do procedimento.

Depois disso, Edio deve continuar morando em Jaú por pelo menos quatro meses, com acompanhamento diário da equipe médica. O pai do jovem salientou que, ao receber o diagnóstico de leucemia em 2017, o filho passou por tratamento na Santa Casa de Marília, se tornando paciente do Amaral Carvalho em 2018 por conta do transplante.

Dessa vez, ele precisou ser tratado desde o início em Jaú pela quimioterapia com a nova medicação blincyto e pela necessidade do segundo transplante. “Agradeço à equipe de Jaú e também da Santa Casa, que tratou meu filho da primeira vez e o acompanha agora, através do oncologista Fabrício Mazotti, que conversava constantemente conosco, nos auxiliando, inclusive emocionalmente”, disse o pai do Edio.