Procura supera as vagas no 1º dia do mutirão

A ação do Estado continua até dia 31 de outubro, com capacidade de 50 atendimentos por dia

 

 

A procura pela Carreta Mulheres de Peito superou o número de vagas no primeiro dia do mutirão de mamografia. A ação do Estado em parceria com o HC/Famema começou ontem e continua até dia 31 de outubro, com capacidade de 50 atendimentos por dia. As pacientes são recebidas em uma sala de espera com lanche e exibição de filme.

As mulheres que conseguiram fazer o exame ontem foram as que chegaram cedo. A carreta abriu às 9h, quando foram entregues as 50 senhas do dia. A auxiliar de enfermagem Genoveva Fava foi uma delas e elogiou a estrutura de espera.

“Essa é uma oportunidade para a gente se cuidar e aguardamos em uma sala confortável, com café da manhã e filme”.

Já a diarista Eva Maria Andreazi lamentou que as senhas sejam entregues todas no começo do dia. Ontem, ela chegou perto das 11 horas e vai ter que voltar para conseguir fazer a mamografia.

“Perdi o dia de trabalho à toa hoje (ontem) porque não sabia que as senhas já teriam acabado. Vou ter que voltar mais cedo em outro dia e perder o trabalho novamente. O mutirão é bom, mas o SUS sempre exige paciência”.

A carreta fica no estacionamento do Hospital das Clínicas, que cedeu uma sala para a espera das mulheres, ao lado da estrutura do mutirão. A entrada é pelo portão 5, localizado na rua Orlando Riguetti, s/nº, bairro Fragata.

O programa visa facilitar o acesso das mulheres à mamografia, além de conscientizá-las sobre a importância do exame. A Carreta Mulheres de Peito recebe livre demanda (sem necessidade de encaminhamento).

Mulheres com mais de 50 anos não precisam de pedido médico para fazer o exame, devendo levar apenas o RG, o cartão SUS e um comprovante de endereço. Foi o caso da pensionista Irene Faria Faustino, que tem mais de 60 anos.

Ela passou pela mamografia ontem. “Eu estava na lista de espera municipal há meses e achei muito boa essa oportunidade. Não faço mamografia há dois anos e é importante prevenir”.

Já as mulheres de 39 a 49 anos de idade precisam apresentar os mesmos documentos e mais o pedido médico, que pode ter sido emitido pela rede pública ou particular.

Serão atendidos 50 pacientes por dia, das 9h à 18h, até sexta-feira e, na semana seguinte, até quinta (31), ultimo dia do mutirão. No sábado (dia 26), o atendimento será menor, das 9h às 13 horas, para 25 mulheres. E no domingo a carreta não abre.

As imagens captadas pelos mamógrafos são encaminhadas para o Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem da Secretaria de Estado da Saúde, que emite os laudos à distância, da capital paulista.

Já há uma referência definida para os casos em que houver necessidade de dar segmento ao atendimento para possível tratamento de câncer de mama.

Esses encaminhamentos serão feitos via Saúde Municipal de Marília (Serviço de Mastologia) e via DRS (Rede Hebe Camargo), para as pacientes da região. Assim como os serviços de saúde do HC/Famema, o mutirão é voltado a mulheres de toda região (62 municípios).

 

Fotos: Edio Junior