Centro de Equoterapia é subaproveitado

CEM não visa lucro e está disponível para a população local e regional há cinco anos

 

Por Ana Carolina Godoy / Foto Edio Junior


O CEM (Centro de Equoterapia Maldonado) não visa lucro e está disponível para a população local e regional há cinco anos. No entanto, embora tenha capacidade para atender 45 pacientes por semana, está com 19 vagas abertas.

A unidade, voltada ao desenvolvimento de crianças especiais, tem sido subaproveitado.

Localizado em um espaço arborizado na zona rural, o CEM possui acessibilidade, uma sala de atendimento terapêutico, baia para os materiais, cozinha e uma pequena lanchonete.

Entre os animais estão cavalo mini-horse, minicabritos, papagaio, coelho e cavalos apropriados para equoterapia.

As sessões são feitas ao redor de árvores frutíferas. “Os praticantes convivem com a natureza, que agrega ainda mais ao resultado da equoterapia”, observou a proprietária e fundadora do CEM, Mariness Maldonado.

A equipe inclui uma fisioterapeuta, uma psicóloga e um auxiliar, profissionais credenciados pela ANDE (Associação Nacional de Equoterapia).

Mariness ressaltou que o CEM recebe pedidos de famílias continuamente, mas a dificuldade está no transporte. “Nossa distância da cidade, tendo como referência o Supermercado Atacadão, é de doze quilômetros”.

Para tentar obter apoio para o transporte, o Centro de Equoterapia enviou uma solicitação por escrito onde relata os serviços prestados e a estrutura disponível ao poder público e empresas.

“Esse apoio vem sendo pedido há anos, sempre muito esperado e cada vez mais urgente”, salientou a fundadora.

No ano de 2016 um estudo realizado em conjunto entre o Ministério Público e o CEIM (Centro Equestre Inês Maldonado) já constatou que existe uma grande demanda reprimida para esse tipo de tratamento. A Polícia Militar também oferece o serviço, mas tem 150 crianças excedentes (não atendidas).

A estrutura e equipe do CEM comportam nove crianças ao dia, ou seja, 45 por semana, totalizando 180 atendimentos ao mês. No entanto, o centro tem funcionado três vezes por semana, com ocupação máxima de 35 pacientes e atualmente são 26.

“A dificuldade de transporte não nos permite crescer e preencher as vagas disponíveis”, disse Mariness.

O CEM fica localizado na estrada vicinal Marília x Rosalia, Km 7 à direita. Os telefones de contato são os das terapeutas: 99789-1849 e 99738-6726 ou o da coordenação: 99821-4470.