Morador de rua é agredido por colega em briga em praça

Vítima teve perda de massa encefálica e está internada em estado grave no Hospital das Clínicas (HC) de Marília

Por Matheus Brito

O morador de rua Adriano Ricardo Mauro, de 42 anos, foi preso por policiais militares acusado de agredir com lajota o também andarilho Maicon Deividi da Silva, de 32 anos, em briga na noite de terça-feira (5) em praça na avenida Pedro de Toledo, na região central de Marília.

Segundo informações da Polícia Militar (PM), por volta das 19h30, a vítima foi encontrada caída na praça com ferimento na região da cabeça. Equipe médica do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) atestou que Silva havia sofrido traumatismo craniano e perda de massa encefálica. No local ainda foi apreendida uma lajota, que foi usada como arma no crime.

O andarilho foi socorrido em estado grave para o Hospital das Clínicas (HC) de Marília. Até a conclusão dessa matéria, a superintendência da Famema não havia informado o estado de saúde da vítima.

Durante patrulhamento, Mauro foi encontrado próximo a rua Amazonas. O morador de rua negou aos policiais militares a autoria do crime, mas apresentava vestígios de sangue nas roupas, mãos e pernas.

O morador de rua C.A.S., de 55 anos, relatou aos policiais militares que vítima e acusado consumiram bebida alcoólica durante todo do dia, e que por esse motivo não foram aceitos no albergue. Eles retornaram para a praça, onde tiveram uma discussão.

Silva foi deitar em seu colchão quando foi atacado por Mauro. O morador de rua utilizou uma lajota e desferiu vários golpes na cabeça da vítima.

Já na Polícia Civil, Mauro confessou a autoria do crime, mas alegou que agiu em legítima defesa, pois a vítima havia o agredido com pedaço de madeira na cabeça e mão direita.

O morador de rua foi indiciado em flagrante pelo crime de tentativa de homicídio qualificada e recolhido para a penitenciária de Marília. Se condenado, ele pode pegar uma pena de até 20 anos de prisão em regime fechado.