No último dia para liberação do estádio, definição fica sem reposta

Se Corpo de Bombeiros liberar o Bento de Abreu será apenas o ‘tobogã 2’

Por Jorge Luiz/foto: Divulgação

 

A reportagem JM esperou até as 22h17 por uma resposta da diretoria do Marília Atlético Clube (MAC), sobre a decisão do Corpo de Bombeiros de liberar ou não o estádio Bento de Abreu, mas não teve as ligações retornadas.

O prazo para a regularização na Federação Paulista de Futebol (FPF) terminou hoje (dia 23), às 23h59.

 

Em pesquisa do JM ao site da FPF, realizada hoje(23), às 9h20, a situação permanecia indefinida.

Se a liberação aconteceu foi apenas do ‘tobogã 2’, que tem capacidade para cerca de 2.700 pessoas. Entretanto, em uma informação apurada pela reportagem, o Bombeiros iria permitir a presença de no máximo 300 torcedores no setor, para a partida deste sábado (25), às 19h30, contra o Linense.

Caso permaneça interditado, o Alviceleste perderá o jogo por WO (3 a 0), pois não há mais tempo hábil para a mudança de local (são 8 dias úteis) e o duelo também não pode ser realizado com portões fechados.

Hoje à tarde, a comissão do Corpo de Bombeiros realizou nova vistoria no setor e saiu do estádio sem falar com a imprensa e sem dar uma definição sobre a interdição. Dos cinco laudos exigidos pela Federação para a liberação de um estádio, o Abreuzão tinha apenas dois regularizados (Condições Sanitárias e de Higiene; Prevenção e Combate de Incêndio), que expiram somente em novembro.

O Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e Segurança tinham vencido no último dia 3, segundo o site da FPF, assim como o de Vistoria de Engenharia, que encerrou sua validade no dia 6. De acordo com o supervisor maqueano, sem o AVCB não tinha como regularizar os outros dois, que já estavam prontos.

Quanto aos outros setores interditados, a partir do momento que a Prefeitura Municipal finalizar as obras exigidas pelo Corpo de Bombeiros, eles também serão liberados. O próximo a ficar disponível será o ‘tobogã 1’, já que as reformas não são tão complexas.

“O ‘tobogã 1’ também vai ser liberado nas próximas rodadas. O material que estava na ‘Cozinha Piloto’ (fica embaixo da arquibancada) já foi quase todo retirado. Precisaremos fazer apenas algumas adequações na acessibilidade, com escadas mais largas e a melhora nos corrimãos”, explicou Todeschini.

Já nos setores da geral da parte coberta, o Corpo de Bombeiros quer a ampliação dos corredores de acesso em pelo menos mais um metro na largura, o que resultaria avançar mais os alambrados para dentro do campo.

Também nas cativas, a corporação exigiu que o corredor das cabines de imprensa tenha mais um metro de largura, o que resultaria na retirada de pelo menos duas fileiras de cadeiras. Pelo tamanho das obras a serem feitas, dificilmente esses setores serão liberados nesta Série A-3.

 

Matéria atualizada às 9h20 do dia 23/01