Vadão venceu a metade dos jogos contra o MAC

Reportagem JM faz uma homenagem ao técnico Oswaldo Alvarez, que morreu na última segunda-feira (dia 25), vítima de câncer no fígado

Por Jorge Luiz

A reportagem JM faz uma homenagem ao técnico Oswaldo Alvarez, o “Vadão”, que morreu na última segunda-feira (dia 25), vítima de câncer no fígado. O treinador de 63 anos nunca chegou a trabalhar no Marília Atlético Clube (MAC), mas jogou contra 12 vezes por sete agremiações diferentes: Mogi Mirim, XV de Piracicaba, Bahia-BA, Ponte Preta, Vitória-BA, São Caetano e Guarani.

Vadão venceu o Alviceleste seis vezes, empatou duas e perdeu somente quatro. O último confronto do treinador contra o Marília aconteceu há dez anos, no dia 3 de março de 2010. No comando do Guarani, pelo Campeonato Paulista da Série A-2, o placar foi de 3 a 3 no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, pela 1ª fase.

O Bugre foi escalado com: Douglas; Da Silva, Neto, Cássio e Moreno; Cléber Goiano, Luciano Santos (Paulinho), Léo Mineiro (Valdir) e Marcinho; Fabinho e Ricardo Xavier (Marcelo Maciel).

O MAC atuou com: Carlos César; Gabriel (Thiago Santos), Rodrigo Alemão, Luiz Carlos e Ricky; Washington, Juan (Rafael Tavares), Fábio Gomes e Altair; Anderson Lobão (Catatau) e Leandro Love. Técnico: Play Freitas. Os gols do Guarani foram marcados por: Ricardo Xavier (2) e Fabinho. O Alviceleste fez com Rodrigo Alemão, Ricky e Thiago Santos.

Já a primeira partida de Oswaldo Alvarez contra o Marília ocorreu no Paulistão de 1992, no Bento de Abreu, quando o técnico dirigia o Mogi Mirim e perdeu por 3 a 2. O Alviceleste foi escalado com: Júlio César; Miranda, Murilo e Cavalcanti; Carlos Martins (Gersinho), Edílson, Amauri, Guilherme e Paulo César (Marcus Aurélio); Vladimir e Kel. Técnico: José Carlos Serrão.

O Mogi Mirim teve: Vitor; Polaco, Marcão e Ragne; Givanildo, Lélis, Adílson, Ronaldo e Marco Antônio (Rivaldo); Sandro e Alexandre.

O MAC fez os gols com: Marcus Aurélio, Kel e Vladimir. Sandro e Rivaldo descontaram para o Mogi. Vadão lutava contra a doença desde o início de 2020, quando passou por sessões de quimioterapia e chegou a apresentar evolução, mas o quadro se agravou recentemente. Ele deixou a esposa Ana, os filhos Adriano e Carolina e dois netos.

O corpo foi levado para Monte Azul Paulista, onde o técnico nasceu e foi sepultado. Oswaldo Alvarez treinou diversos clubes, sendo os principais São Paulo, Corinthians e Seleção Brasileira Feminina.