Mart'nália repõe o bloco de Sérgio Sampaio na rua

Marcha que irrompeu em 1972 na sétima edição do Festival Internacional da Canção (FIC), ao ser defendida pelo cantor e compositor Sérgio Sampaio (1947 - 1994)

Marcha que irrompeu em 1972 na sétima edição do Festival Internacional da Canção (FIC), ao ser defendida pelo cantor e compositor Sérgio Sampaio (1947 - 1994), Eu quero é botar meu bloco na rua resiste ao tempo com tamanha força que ainda ofusca outros títulos do expressivo cancioneiro autoral desse artista capixaba que saiu de cena há 25 anos. Tanto que a marcha ganhou dois expressivos registros ao longo deste ano de 2019.

O primeiro é o de Ney Matogrosso, que abre e batiza seu mais recente show Bloco na rua com a composição de Sérgio Sampaio.

O outro surpreendente registro é o de Mart'nália.

A cantora carioca gravou Eu quero é botar meu bloco na rua para a trilha sonora da série Eu, a Vó e a Boi, disponibilizada em primeira mão na plataforma de streaming Globoplay, da TV Globo.

Ao dar voz à marcha, Mart'nália evita o acento esfuziante normalmente adotado pelos intérpretes - sobretudo quando a música desemboca no empolgante refrão - e opta por registro mais melancólico, em sintonia com o tom agridoce da trama escrita por Miguel Falabella a partir de história real contada por Eduardo Hanzo através do twitter.

Não por acaso, a gravação de Eu quero é botar meu bloco na rua com Mart'nália aclimata o fecho do derradeiro episódio da série de TV.