Diretoria do MAC entra em acordo com clube e Léo Couto permanece

Volante disputou os 11 jogos do clube na volta do futebol durante a pandemia

Por Jorge Luiz/foto: Matheus Dahsan

 

O Marília Atlético Clube (MAC) quase perdeu um dos seus principais jogadores, para jogo de volta das oitavas de final da Copa Paulista, contra o Velo Clube, às 17h, no estádio Bento de Abreu.

Com contrato se encerrando hoje (dia 1º), o volante Léo Couto não estava conseguindo convencer o FF Sport (2ª Divisão de Alagoas) a prorrogar seu empréstimo. Somente no final da tarde ontem (31), a situação teve um ‘final feliz’ e segundo o 2º vice-presidente Alysson Souza, o novo vínculo irá até o término do Paulista da Série A-3 de 2021.

Léo Couto tem contrato com o Francisco Ferro Sport Club, agremiação da capital Maceió-AL, até dezembro de 2022. Até o começo da tarde de ontem, o clube alagoano estava irredutível em emprestar novamente o atleta sem uma compensação financeira. Horas depois o 2º vice-presidente maqueano disse que foi realizado um acordo para a permanência do atleta, mas não revelou os detalhes.

O novo vínculo do volante com o Alviceleste precisa estar regularizado até o final da tarde de hoje (dia 1º). Léo Couto tem apenas 22 anos e jogou nas categorias de base de: Cruzeiro-MG, Grêmio-RS, Vasco-RJ e Náutico-PE, onde se profissionalizou. Também jogou por Prudentópolis-PR, FF Sports-AL, São Joseense-PR e PSTC-PR, de Cornélio Procópio.

O volante chegou ao Marília durante a pandemia do coronavírus e atuou em todas as 11 partidas, entre Paulista da Série A-3 e Copa Paulista. Ao lado de Junior Santos, Orlando Junior e Carlos André (hoje na Portuguesa), ele é o líder de assistências no clube, com três passes para gol.

 

Dúvida e despedida – Com a situação de Léo Couto resolvida, a única preocupação do técnico Guilherme Alves passa a ser o lateral/atacante Luan Gama, que machucou algumas das costelas, no duelo em Rio Claro. O jogador passou por exames e hoje fará os testes para ver se terá condições. O provável substituto será o atacante Lucas Lino, que já entrou no segundo tempo diante do Velo Clube.

Quem se despede hoje do elenco maqueano é o atacante Jean Carlos. Seu vínculo termina nesta terça-feira e não será renovado, nem mesmo para o fim da Copa Paulista. Guilherme Alves diz ter tido uma conversa franca com o atleta e ambos entenderam que a continuidade não seria possível. O jogador fez oito partidas pelo clube e marcou apenas um gol.

A primeira partida das oitavas terminou em 0 a 0. Um novo empate por qualquer placar, leva a decisão da vaga para as penalidades máximas. Nesta quarta-feira, Guilherme Alves irá completar 56 partidas como técnico do Alviceleste e irá se igualar a Arthur Bernardes, que dirigiu o clube em duas passagens (1993 e 2006), como 13º treinador com mais jogos na história. Na semana passada, ele ultrapassou José Carlos Serrão, que possui 54. Neuri Cordeiro e Celso Marão dividem o 12º lugar com 58 partidas.

 

70% dos gols no 2º tempo – Desde que o futebol voltou durante a pandemia do coronavírus, o MAC já entrou em campo 11 vezes, entre Campeonato Paulista da Série A-3 e Copa Paulista. Dos 24 gols marcados até aqui, 17 deles (70,8%) foram anotados no segundo tempo. Já em relação aos sofridos há um equilíbrio. Dos 15 tomados, oito aconteceram na etapa inicial e sete na final.

Para o técnico Guilherme Alves não há uma só explicação para que sua equipe tenha marcado mais gols no segundo tempo das partidas. “Talvez haja mais acertos nas finalizações na etapa final ou o nosso time esteja mais inteiro fisicamente em relação ao adversário ou a nossa leitura da partida tem sido mais efetiva. Não dá para resumir em apenas uma dessas”, comentou.